O Esporte e a Educação Financeira

O Esporte e a Educação Financeira

Desde menino escuto e concordo que o esporte é um dos principais caminhos para salvar crianças e jovens vulneráveis ao tráfico de drogas e outras ações ilícitas. Essa “mão de obra” quando fica a disposição de criminosos é recrutada muito facilmente e aliciada com promessas de poder e dinheiro, criando a falsa sensação de uma vida farta com prazeres inimagináveis.

Quando escolhem as atividades esportivas em busca de um futuro próspero e bem diferente daquele que se via no horizonte, deixam de ser essas presas fáceis e ganham cidadania, educação, qualidade de vida e têm suas esperanças renovadas.

O futebol está entre os esportes mais praticados e o que recebe mais investimentos no país. A maior visibilidade, oportunidade de geração de renda aos profissionais e fama atraem cada vez mais meninos e meninas em busca dessa modalidade. 

Embora haja essa glamourização, alcançar o topo não é tarefa fácil, muitos ficam pelo caminho e precisam continuar sua caminhada em outras carreiras. 

Para se chegar ao nível desejado ou vocacionado é preciso ter muita persistência, resiliência, dedicação, renúncia e força de vontade. Além disso, deve ser tudo muito bem estruturado para que os esforços empenhados não sejam em vão. Muitas famílias apostam todas as suas fichas nessa joia que começa a brilhar.

E se engana aquele que acha que alcançado o objetivo pode-se relaxar e deixar seguir o curso natural do rio. A próximas etapas precisam de cuidado e atenção redobradas. 

Manter a estabilidade emocional diante da rápida ascensão financeira não é uma tarefa simples e o atleta e sua família precisam compreender que o dinheiro é um recurso finito e que a carreira do jogador é curta.

Isso não é uma previsão pessimista, mas uma realidade que deve ser encarada. Ao pendurar as chuteiras, a vida de atleta se encerra e os próximos anos precisam ser vividos com recursos adquiridos até aquele momento. Há muitas estórias de jogadores que perderam dinheiro e patrimônio por não darem a atenção necessária a esse fato.

É fundamental que durante esse ciclo o jogador seja acompanhado por profissionais que lhe deem orientações seguras e assertivas sobre os melhores investimentos que venham a proteger e preservar o elevado padrão de vida que adquiriu durante a profissão.

A educação financeira precisa estar presente na formação dos atletas e das suas famílias. A relação com o dinheiro precisa ser melhor conduzida para que a partir daí não tenhamos tristes estórias de atletas que perderam tudo aquilo que conquistaram. 

Essa é uma preocupação constante e deve ser observada pelos clubes, federações, sindicatos de atletas e famílias.